sexta-feira, 13 de junho de 2008

Fique mais, que eu gostei de ter você.

"Não sei dizer o que há em ti que fecha e abre, só uma parte de mim compreende que a voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas..."

Difícil escrever sobre ela... A famosa Soledade, dona dos olhos castanhos e do sorriso mais bonito desse mundo... Desculpe-me, mas está pra nascer mulher igual nesse século... Porque Soledade é Mulher com Eme Maiúsculo... Eme de Mãe... Eme de Maravilha... Eme de Mágica... (e bota mágica nisso!).
Uma super-heroína?
Não, nem tanto...
Soledade gosta do que é imoral, ilegal ou engorda (embora seja a pessoa mais correta que eu conheça)...
Na verdade, ela é mulher no ponto certo... Pronta para encantar... Pronta para acalmar...
Está sempre com os braços abertos, o café na mesa, a alegria na cara...
Embora quase-perfeita, ela tem aquela simplicidade que nega: "Que bobagem, eu não sou nada disso"... E eu escuto ela falar e fico quieta, pensando: Ah, se Vinícius de Moraes te conhecesse, vó! Se ele lesse a poesia que eu vejo em seus olhos... Ah "se todos fossem no mundo iguais a você"...
Soledade é isso aí.
Ela é música... Arte... Colo... Abraço apertado... Com suas caras, bocas e trejeitos, ela é referência... Ponto de apoio... Equilíbrio e panos-quentes...
A verdade é que ninguém sabe ser como Soledade é...
Inteira... Completa... Dona de múltiplos talentos e carinhos fabricados por ela mesma...
Precisa de inspiração? Olhe um segundo para ela... Mas antes, prepare-se! Soledade vicia e só faz bem... Depois de conhecê-la, você vai sempre se lembrar: Está aí uma mulher que sabe das coisas... E ela sabe! Sabe para sentir, mesmo antes de pensar...
Tem o sexto sentido aguçado... Descobre minhas vontades, decifra meus humores, faz o impossível para me ver feliz...
Devo um tanto da minha melhor parte a ela, que me ensinou a viver de um jeito apaixonado e cheio de virtudes...
Ela me mostrou que existem – sim! - alminhas bonitas no mundo que valem nossas dores, cores e (tantos) 'amores'... Com ela aprendi a andar com minhas próprias pernas, aprendi a acreditar, aprendi a amar e a receber, aprendi a afirmar: Amanhã será bem melhor, saravá!!
Soledade é assim: Poesia que não pára... Tons... Pausas... Letras... Força... E uma leve tristeza disfarçada...
Soledade é minha melhor frase... Meu melhor verso... Minha canção perfeita... Minha lua... Minha mais divina luz... Minha inspiração... Refrão e desabafo...
Passo dias pensando: O que fazer para deixá-la um tanto mais feliz? Foi aí que descobri... Sendo feliz, primeiramente... Acho lindo e simples isso... Ao contrário do que possa parecer, não é egoísmo... O amor se recicla e nunca é desperdiçado... A gente vê o outro feliz e - instantaneamente - fica feliz também... Já sentiu? É perfeito! Por isso, devo confessar: O que me faz acordar todos os dias com um sorriso estampado na cara é saber que posso entrar por aquela porta e fazê-la sorrir, talvez pela última vez... (e - porque não? - ás vezes, também, chorar)... Cada conquista, cada emoção, é um presente meu para ela... Um agradecimento (lá do fundo do coração) pela sorte de ter um dos maiores presentes já ganhos: a presença dela em minha vida!
Por ela, eu desafio a mim mesma... Por ela, eu me atrevo a ser melhor... Por ela, eu ouso acreditar que músicas serão gravadas, livros sairão do papel e gatos subirão - satisfeitos - em telhados de casa de vidro...
Por ela, eu sou...
E sei que pouca coisa importa tanto, quanto as miudezas de uma vida com ela... A risada infinita... O abraço grudado... Aquele brilho no olhar que é um pouco do céu...
Quando chego à casa de Dona Soledade, ela responde lá de dentro com a voz mais doce do mundo: "Oi, minha flor"... Nessas horas, eu fecho os olhos e agradeço (porque ela também me ensinou a agradecer pela vida): Obrigada pela melhor avó do mundo ser a minha!
(Sorte nossa que entendemos o encanto de amar e se doar como ponto alto da vida... Obrigada por me ensinar a ser... Obrigada por vibrar comigo... Obrigada por me fazer seguir em frente... Obrigada por me ensinar a dar valor a todas as pequenas coisas da vida... Elas fazem realmente a diferença... Uma música... Um sorriso... Um verso... Uma taça de vinho... Ou o seu olhar...)

A dor vem quando você passa a sentir que está perto de perder alguém assim, tão importante na sua vida.

"...Ninguém, nem mesmo a chuva, tem mãos tão pequenas."

13 comentários:

__((::_Perfect Girl_::))__ disse...

Nossa... que texto lindo... quase chorei agora... =)
Liga não, sou chorona mesmo, é só ver coisas assim que pronto... já desabo... rsrsrsrs
Adorei seu blog flor...

Beijos e quando der, passa no meu...

^^

Leonardo luiz lino disse...

gostei do texto...

>> http://topzet.com/

Ju disse...

a descrição é perfeita! é do tipo que projeta que lê pra dentro da leitura como um observador silencioso que só se levanta no final pra aplaudir de pé!

parabens!

Conquistadores (Didixy) disse...

Muito legal mesmo o texto. Totalmente realista. Não sou bom nesse tipo de interpretação de texto, mas é muito observador e interessante.

Thatha disse...

gostei du texto muito bom...^^

Patricia disse...

Oi!!
Achei o seu blog na comu do Orkut e vim conferir!

Passa lá no meu tb:
http://blogdapattyandrea.blogspot.com

Victor Aguiar disse...

Caramba, bateu saudades da minha vô agora.
Belo texto.

ttp://nerdsedentario.blogspot.com/

Wander Veroni disse...

Olá!

Que bonito e humano o seu texto. O mais bacana é a protagonista da história se chamar solidão, se traduzirmos para o Português o nome dela, é claro.

Será a solidão o estágio mais completo para atingirmos o equilíbrio? Ou será que conseguiremos ser feliz sozinho?

É uma pergunta retórica só pra pensarmos mesmo. A verdadeira resposta está em cada um de nós.

Desculpe a liberdade, mas filosofei d+ após ter lido seu texto.

Abraço,

=]
___________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Thiago :) disse...

Meus avós são pessoas imprescindíveis na minha vida, e acredito que mtas pessoas tbm acham isso dos seus.
O colo, as histórias, os doces, o carinho, a proteção .. são tantas coisas boas que eles me passaram e passam :D
Agradeço mto por ter os meus vivos até hj e faço sempre o possível para vê-los com frequência :)

belo texto ^^

http://refugiodigital.blogspot.com/

Rômulo disse...

Muito bonito. Avós costumam ter um papel muito especial na vida dos netos, ou pelo menos têm e tiveram na minha.
Espero que um dia eu possa ser avô de muitos netos.

Rômulo disse...

Oi, atualizei o Silêncio, dá uma olhada lá depois.
Beijos!

Vanessa disse...

lindo, lindo, lindo

David disse...

Ana vc tinha que mudar de novo e mudar para..

Chaveira de almas consegue abrar a alma da genti e tbm o coraçao...