terça-feira, 15 de julho de 2008

"Alô, liberdade, desculpa eu vir assim sem avisar."

"Ah, se já perdemos a noção da hora, se juntos
já jogamos tudo fora, me conta agora como hei de partir..."

Ah, Francisco, porque não me gerastes junto com todas as outras? Seria tão, tão, tão mais leve existir somente numa canção. Ser, ser, ser uma moça de louça, de éter, divina a dançar no sétimo céu. Não, não, não sei andar sem os pés no chão. Por favor, Francisco, me diga por que não nasci com o talento de ir embora da Rita? Me ensine a sair de cena destroçando tudo, calando todos os violões e levando comigo tudo que possa significar vida.

Por que tu não me inventas agora? Ainda há tempo, salve-me! Feche os olhos e busque-me numa madrugada morta ou em meio ao buzinar dos carros engarrafados. Anote meus traços num caderninho. Ou então, se preferires, posso debruçar-me numa janela e, com meus olhos tristes, guardar a dor de todo esse mundo. Já sei, já sei, essa é a Carolina e eu sou apenas real.

Mas, olhe, Francisco, eu não estou pedindo muito, quero apenas ser uma das tuas, ter meu nome entre acordes e tons. Sei que minha sorte será outra e que a sina de tuas mulheres nem sempre é bem estar. Vi o que fizestes com a outra, feita para apanhar e boa de cuspir. E, perdoe-me o atrevimento, mas que sina deste à pobre dama, hein, Francisco? Francamente! Não tivestes pena dela? Tenho até medo de ti! E Bárbara? Santo Deus! Porque não construístes um mundo onde o amor delas fosse possível? Que mania de perseguição com essas moças que só fazem padecer em tuas mãos.

Olha, quando a inspiração te alcançar e te inundar de mim, vê se não me joga entre os leões, viu, Francisco. Pensa numa sorte melhor do que lavar chão numa casa de chá. Faça-me heroína, torne-me efêmera e eterna num paradoxo musical. Eu quero ser somente tua imaginação numa melodia sublime e vagar para todo sempre em rodas de samba, em cantigas de ninar ou no canto sofrido de uma lavadeira.

"...Te dei meus olhos pra tomares conta, agora conta como hei de partir."

15 comentários:

Maíra Charken disse...

Minhas músicas prediletas... Parabéns!

www.mairaempalavras.blogspot.com

Robson Delgado disse...

Ótima letra, faz nos refletir!

Parabéns pelo gosto e inspiração!

greatdj disse...

òtima mistura de letras!

E pegou ainda as que eu mais gosto de brasileira!

Niltinho disse...

A-do-rei!
Eu sou um Chico Buarque Fã.
E confesso que já dei umas de Chico, já escrevi para as minhas meninas, já tentei não me afobar por que nada é pra já e já suspirei entre vitrines vendo Ela passar na galeria.

Um grande abraço.

Blogdo Niltinho 2.0

Grilo Pensante disse...

Nossa...
que texto magnífico...
muito bom mesmo
impressionante
criativo..
diferente..
homegenativo e cheio de críticas e opiníões
muito bom mesmo...encantado


Cantos do Grilo

http://felipepensador.blogspot.com/

Robson Delgado disse...

Mais uma vez aqui estou, vamos adjetivar o texto (música)

>inspirado
>reflexivo
>benemérito.

Bom gosto !

amandaedalete disse...

Ficou muito boa essa mistura.
Gostei.

Marcelo Leite disse...

q lindo xD
gostei
reflexivo...

Dário Souza disse...

Texto legal vc que fez ??

1- Quem é francisco ??
2- Adoro essa musica de pitty e a maioria das dela.

Dário Souza disse...

Olhares de gelo tao descartaveis como cascas no chão é um trecho de I Wanna Be da pitty.

Jordana disse...

Ser musa... ai ai!
Sonho de pobres mortais, como yo!

hehe.. seu blog é lindo, sabe tratar muito bem os sentimentos!!!

Parabéns!
Beijos...

Ps:
Passa no Antiga Astúcia, Ok?

Marcelo disse...

O cara sabe tocar a alma de uma mulher não é não...
Muito bom seu texto também...

Lembra da Joana Francesa... dá para se apaixonar por ela sem nunca tê-la visto. Só pelas palavras de Francisco... São Francisco Buraque de Holanda..
Amém

Mayna disse...

Reflexivo, delicado...
Gostei muito do texto.
Parabéns!

http://maynabuco.blogspot.com

Rômulo disse...

Fiquei pensando em quem são essas pessoas todas que você citou. Pelo que me pareceu, Francisco é um compositor, e as moças são personagens de músicas, Errei?
Por falar em música, quando você cita "moça de louça", me lembrei de um sambinha antigo, regravado pela Orquestra Imperial: "Devagar com a Louça".
Beijos, atualizei o Silêncio!

Alan Salgueiro disse...

Tá lindo, Yasha. Uma grande sacada, essa, de pedir ao Chico, com todo garbo e elegância, tornar-se imortal numa de suas canções como as tão famosas mulheres de Chico. E até a Geni que foi achincalhada acabou sendo citada! Tô apreciando bastante conhecer também seus gostos e influências. Acho que, como eu, as canções são um fator inspirador para que se faça literatura!
Ah, e agradeço profundamente pela comparação, acho que chegar perto de qualquer coisa que o Chico faça é uma grande honra!