terça-feira, 7 de outubro de 2008

The same old scenario, the same old rain.


Às vezes deita a sua cabeça no chão, estica seu corpo e fica olhando as estrelas tão antigas brilhando lá no alto. É tudo passado, mas ainda caminha sob a sua cabeça e basta que ela olhe pra cima para que possa lembrar de tudo de novo.

Ainda insiste na ridícula afirmação: "parece que não teve um ponto final", mas é claro que teve. Então por que ela ainda insiste em criar raízes grossas em tudo isso? De fato tudo passou e ela não quer que volte mais, talvez remoer coisas do tipo implique no que já disse.

Pois que a maldita estrela crie asas e saia voando, ou simplesmente se apague... Talvez na pior das hipóteses, que ela fique cega e não veja mais nada que a faça remoer o passado. Ela não quer mastigar frutos podres, não quer moer grãos murchos. Ela tem toda uma vida pela frente e o seu caminho se traça a partir de uma linha imaginária que cria agora, todo pão que jogou pelo caminho até aqui ela espera que seja comido pelos pássaros, não quer conhecer alternativas que lhe façam cair no passado obscuro.

De fato contornou as coisas do presente para que não se esquecesse que o mais importante é a sua vida.

Olhar para um pedaço de madeira iluminado pela fraca luz do luar e encontrar dentro de tão pouco algo que pode virar uma obra de arte, arte que explica a vida. Ser forte ou simplesmente parecer forte pode ser a maior das armadilhas, é botar galhos pra fora, abrigar pássaros, permanecer parada com as raízes fincadas na terra, feito uma árvore. Árvore sozinha quando a chuva vem, árvore que balança quando ventos fortes por seus galhos passam, árvore que um dia irá virar apenas um pedaço de madeira sob a luz do luar.

Nenhuma queda é digna de humor, nem mesmo a de seus inimigos, se é que eles existem. O ódio é algo permanente, como o amor... Ódio? Ódio não sente, ela só quer que você permaneça longe como permanece, e então entregará o seu peito às águas frias de um riacho e que seus sentimentos não sejam mais secretos. É vago, é incerto, é falso, é mentira, é doloroso, é de arrancar lágrimas, é de apertar o peito, de puxar os cabelos, de bater a cabeça na parede e se perguntar por que, é ruim. Solidão? Se dissesse isso estaria sendo ingrata... Tem tudo que ela precisa, ou talvez quase isso. Ela queria poder te ver bem, sem ter que se contorcer no chão frio e querer se matar por se sentir monstro... Deu-lhe a vida, e se acha que pode então a arranque tão precioso bem. Foi quando mais precisou que os pássaros voaram, se mostraram fracos, não suportaram o inverno, foram embora e não vão voltar, porque não querem e porque ela não quer que voltem.

O barro gelado lhe dá cócegas estranhas... Ao mesmo tempo em que chora ela cai no riso. É frio, mas é vivo. Agora fica aqui, conversando com as estrelas, falando com a sua alma, ensinando coisas a ela e tentando refletir sobre seus sentimentos, observando um pedaço de madeira azulado pela luz do luar.



Ps.: Peço desculpas pela demora, estive viajando, jogando alguns amistosos de basquete, e precisei também 'me dar um tempo', como falei no post anterior, pra pôr um pouco minha cabeça no lugar. Pois bem, as coisas parecem se resolver, e já estou melhor. Agradeço aos que não deixaram de vir aqui fazer seus comentários. Agradeço principalmente ao Rômulo, a Vanessa e a Intense, pessoas já um tanto especiais que tive o privilégio de 'conhecer' aqui, pelas palavras sempre tão confortáveis. E aos que ainda não pude responder, farei isso em breve. Beijos a todos.

9 comentários:

MinGuarino disse...

Nossaa...
me identifiquei d+.
Principalmente com :

"Ainda insiste na ridícula afirmação: 'parece que não teve um ponto final', mas é claro que teve. Então por que ela ainda insiste em criar raízes grossas em tudo isso?"

=***

Ana Célia disse...

looongo, mas lindo!
Parabens!

Rafaz disse...

Do ódio só nasce ódio, e dele se cria a escuridão. Gostei do texto!

JúNiOr_DeSeNhO disse...

Muito bom o texto!

Eu confundo ódio com alegria e vice-versa... Fiquei envolvido com o texto...

Carol disse...

Muito lindo o texto, me identifiquei muito..
obrigada por comentar no meu blog, volte sempre, porque eu voltarei aqui :D

beijo,
menina-perturbada.blogspot.com

David disse...

Alem de gostar mt de quem escreveu, gostei mt do texto mais pra fala a verdade nao e apenas um simples texto, passa sentimentos e alma no texto
vlw ana pela amizade

.Intense. disse...

Que lindooooooo =)
Mas pq o obrigada especial?rs

Em tempo: dê vc o 'tempo' que der, eu sempre venho aqui, me vestir das suas palavras...o post de hj traduz pensamentos de mtos dias recentes. Essa vontade de largar tudo pra trás, traçar novamente uma linha no chão e, simplesmente pular pro outro lado, largando tudo pra trás. E sabe? por mais bonito que possa não ser, é o que eu vou fazer. Ou que estou fazendo. Preciso viver.

Bju intenso, YashaShiTzu.

=p

.Intense. disse...

ps.: eu sou meio mto doida e, quando dá na telha, volto relendo posts e coments antigos...obrigada pelo coments no 'vale a pena ver de novo?', Yasha. dá um post. e vc entendeu exatamente, no minimo e no máximo do excesso e do intenso, oque estava acontecendo. obrigada de verdade.
bju!

Ni ... disse...

Moça, teu blog me faz viajar...

Lindo demais tudo que escreve!! Parabéns...!!