sábado, 28 de março de 2009

Nem todo o tempo do mundo.

Ela. Bonita, sagaz, feliz. Era o tipo de pessoa que te dava bom dia na rua, que sorria por nada e era capaz de desviar o caminho só pra ficar um tempinho a mais com você.

Ela. Sábia, intelectual, conselheira. Devorava livros todos os dias de manhã. Letras de músicas... Nada lhe escapava. Tinha sua própria estante de livros e vinis. Sabia das palavras certas, nas horas certas, sem frases feitas, sempre palavras vindas da alma.

Ela. Sensata, perspicaz, tagarela. Tocava o telefone e a voz do outro lado perguntava se era da assistência técnica da máquina de lavar de marca X. Ela dizia que não, que foi engano, mas argumentava que também já havia tido problemas como esse e passava a relatar sobre todos os eletrodomésticos que já passaram por sua casa e deram algum tipo de defeito. E, no fim da conversa, ainda recomendava a marca Y que era muito melhor.

Ela. Força, inspiração, abraço apertado. Tinha o dom da escuta e sabia, como ninguém, enxergar além das palavras, através dos olhares, essa era uma das partes que mais gostava nela. Tinha um abraço acolhedor e a alegria no rosto mesmo já sentindo dor. Era o meu ponto de apoio. Meu equilíbrio.

Ela. Boba, chorona, sentimental. Ficava emocionada com palavras bonitas, conversava com suas flores e acreditava ter a melhor neta do mundo. Se bem a conheço, já estaria com os olhos cheios de lágrimas diante dessa pequena homenagem. “O seu amor é tão bonito”, ela me disse um dia.

Ela. Estrela, luz, bússola. Brilha solta em minha vida, se faz urgente e necessária em meu caminho. Desfaz meus nós, é meu amuleto, meu divã. Ah, vó, preciso tanto segurar sua mão para atravessar a rua.


Quatro meses e uma saudade que não passa.

Um comentário:

.Intense. disse...

Bonito e, triste, Yasha.
Não vou comentar o texto, mas comentar uma resposta que estou devendo...


...não quis dizer que seu 'jeito de ser' é que assusta. quis dizer que seu 'ser', ser vc, é oq causa espanto e surpresa - pros mais covardes, desencorajados, até medo. pq é uma arte bonita de se ver, Yasha. ela tinha razão, o seu amor é tão bonito! e isso transborda nas palavras, na escrita, na risada na janelinha, nas letras das músicas...se fosse chegar mais perto, se essa Yasha abrisse a porta da alma pra gente aqui,por palavras...quantos não assustariam?

;)

não foi uma critica. foi um elogio.
;*