quinta-feira, 26 de março de 2009

O medo amedronta o medo.

"Podiam vender Dorflex pra alma", divagava, pensando nas entranhas doloridas e exaustas que carregava. Mais um fracasso sem porquê. Tentava, tentava, seguia receitas, improvisava, e o fim era sempre o mesmo: um fim. Buscava duração, sonhava com a permanência, mas a vida, rio, passava. E ele, de alma gasta, temia ser levado pela correnteza. Aliás, ele sempre temia alguma coisa. Seria o medo o por quê? Ele não tinha coragem de pensar nisso. Mas o fracasso, em algum momento, havia lhe chamado de covarde, ele ouviu, apesar de ter fingido que não. Uma caixinha de coragens. Uma garota, sua conhecida, tinha uma dessas, para o medo de escuro e de injeção. Ele precisaria de um baú, mas provavelmente usaria para se enfiar dentro dele. O medo, essa sombra. "Mas o medo protege", retrucava, pensando nos riscos de acidente que toda manobra ousada traz. Ele não era ousado. Preferia a margem, e enfiou seus pés de tal maneira na terra firme que nunca mais se moveu. Até que um dia a maré subiu. E ele sempre teve medo de aprender a nadar.

5 comentários:

thiagaun disse...

o medo é algo que todos nohs sempre teremos. temos d aprender a aceitar e superar isso...

sab. vc escreve d un jeito lgal
bom blog.
=D

Dário Souza disse...

O medo de ter medo, é pior que o proprio medo em si

pedro leonardo disse...

sua definição de medo me amedrontou nunca pensei nele dessa forma, parabéns bela reflexão

Gabriel Messias disse...

medo é uma coisa complicada... ter medo de coisas é normal quando realmente existe algo a temer mas quando é algo que nao existe ou que nao faz mal esse medo é complicado... e o medo as vezes te protege de fazer uma coisa e depois se dar mal...

MinGuarino disse...

De fato o medo nos livra de certas situações desagradaveis, podendo em situações mais extremas nos impossibilitar !...uma troca nada justa.

Talvez seja mesmo melhor vencer os medos...mas eu tenho medo !

=P