domingo, 10 de maio de 2009

Apesar de tudo... Acima de tudo, você.


Mãe! Claro, todos temos.
Uns mais, outros mais ou menos.
Mãe da gente de vez em quando é estranha,
Quer ouvir que ama, quer água e café na cama,
Quer o mundo todo do filho. As horas, os amigos e os porquês.
Mãe tem que ser única mesmo.
Assim, uma por vez.
O filho nasce e já ganha grátis uma mãe.
De aparência indiscutível, de paciência incomensurável e perdão infinito.
Mãe é coisa estranha, espera de todo filho uma compreensão tamanha, e quando paramos pra refletir sobre o assunto, não estamos mais juntos, estamos os mesmos, mais distantes, machucados.
Mãe deveria ser band-aid, merthiolate e algodão.
Deveria ser a cura pra toda dor, independente se foi ela quem trouxe ou não.


[O Teatro Mágico].


Eu sei que vou te amar, por toda a minha vida eu vou te amar...

3 comentários:

Rômulo Wehling disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
.Intense. disse...

Pelo tempo que a gente 'se bloga', vc deve saber (ou reparar) q eu não comento nem posto sobre datas festivas, feriados, comemorações...mas, Yasha, seu post ficou tão lindo...perfeito. Como sempre, me veste, me encaixa. Parabéns sempre, pela delicadeza de encontrar sempre as melhores palavras, a melhor canção, a melhor imagem. Só vc mesma.

;*

ps.: tou com saudade. fui no msn hj te procurar e não te achei. mas li seus mails, amei, e tb respondi. apareço esses dias, assim a vida acalma, pra te contar uma coisa. relax q não é nada demais, ahauhauhauha...

ps do ps.: barriguinha hein? inveja mata? morri. =p

Mel disse...

Adoro seus post, sempre me surpeendem.
Tem um selo pra você lá no meu blog, passa por lá depois.
Bjs e boa semana.