sexta-feira, 24 de julho de 2009

Happy birthday for me!

“...Eu conheço o medo de ir embora, embora não pareça, a dor vai passar. Lembra se puder, se não der, esqueça. De algum jeito vai passar. O sol já nasceu na estrada nova, e mesmo que eu impeça, ele vai brilhar. Lembra se puder, se não der esqueça. De algum jeito vai passar...”

Hoje é meu aniversário, e também, faz exatamente dez anos desde a morte do meu avô.

Eu era muito nova, tinha apenas dez anos, mas isso não impediu que eu sentisse tudo como ‘gente grande’. Lembro de cada detalhe daquele dia, minha festa já pronta que não teve... Me lembro de cada passo. Mas não quero lembrar dos momentos de dor. Prefiro recordar que ele se foi a partir dos meus braços. Se desligou desse mundo olhando pra mim, falando palavras desconexas, mas de alguma forma já livres do sofrimento. Isso me causa um impacto, mas é sereno ao mesmo tempo. Ele foi rápido demais, mas o período no hospital nos deixou importantes legados: generosidade, compaixão, cuidado com o outro. A coragem dele na guerra, nos pôs em vigília por dias e dias. E desse modo entendi melhor o sentido dessa aventura toda em torno do próprio eixo... Tenho perdido gente muito próxima, e vejo que a presença dos que ficam vai ficando cada vez mais importante e necessária.

Passei dez anos sem sair no meu aniversário. Nove, na verdade. Ano passado isso aconteceu, mas de forma rápida. Todos os anos eu ficava remoendo o passado, lembrando daquele dia de todas as formas. Esse ano eu vou fazer diferente.

É como uma renda, e uma rede de delicadezas é teia que suporta pesos inimagináveis. A disponibilidade para o abraço é porta. Gentileza é chave. Abro e atravesso.

“...Eu conheço o medo de ir embora, o futuro agarra a sua mão. Será que é o trem que passou, ou passou quem fica na estação? Eu conheço o medo de ir embora, e nada me interessa se pode guardar. Lembra se puder, se não der esqueça. De algum jeito vai passar.”

2 comentários:

Rafael Cury disse...

Parabéns, menina! Aproveite e comemore seus 20 anos. De coração, desejo toda a felicidade do mundo pra você, que transborda sensibilidade, talento e que eu aprendi a admirar.

Klinger disse...

feliz natal...