quarta-feira, 29 de julho de 2009

"Chorei três horas, depois dormi dois dias."


Para um coração que ficou frio: Cuidados. Isso mesmo, carinhos quentes, chá de erva cidreira. O desvelo de uma manta (cobrindo mãos e braços nevados), a intenção do bem guiando o olhar. A lenha crepitando na cabeça, trazendo os cheiros fortes de uma história que acabou: lavanda, angélica, gerânio. E assim vou vivendo, entre belezas reveladas pelas páginas de tantos livros, imagens de tantos filmes. Sons inusitados que sugerem outros temas nas músicas que fazem viajar, aqui mesmo, sentada na grama verde de tantos carinhos.

E aquela velha colcha de retalhos, necessária em suas estradas, que aquece o meu coração, é a testemunha viva de que o amor não acabou em mim.

5 comentários:

FabioZen disse...

Bom texto,um tanto melancolico mas bom.Parabens pelo blog!

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Yasha, poucos blogs tratam tão bem o sentimento como o teu, aliás eu tenho sentido falta dessas subjetividades e da palavra sutil, enviezada de uma linguagem leve, reflexiva. É minha primeira passagem e meus olhos já olharam de forma diferente!

Cetreus Nominal disse...

Romantico ... aconchegante.

Gostei do estilo simbolico com flashs. Parabens!

Certas Coisas!|! disse...

Bom, isso é muito profundo, porém nao sei se posso dizer que é bonito... Afinal, é triste viver ja tento a certeza de que tudo que se vive é invão, de que nada neste mundo tem solução, e que ser feliz é uma história inventada e vivida só em conto em quadrinhos.

.Intense. disse...

"E aquela velha colcha de retalhos, necessária em suas estradas, que aquece o meu coração, é a testemunha viva de que o amor não acabou em mim."

...

posso não comentar? só falar que gostei muito, o peito apertou e eu senti vontade de chorar. e nem sei pq. mas eu espero que não haja mais nenhum amor que não acabou em mim.

=/

saudade.
;*