sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Um dia de silêncio, vó.

"...Pedaço de mim, metade afastada de mim..."

Nove meses, vó. Em nove meses a gente faz outra vida, mas não resolve a morte.

Sabe, vó, às vezes me acho parecida com os elefantes. Eles preferem se isolar quando estão tristes, deve ser para não incomodar, para não contagiar os outros da manada. Nas horas tristes, vó, eu não digo nada. Ponho um silêncio bem alto no Mp4 e começo a escrever bem baixinho. (Chorar até que eu posso, desde que não me embace a vista.) Só não paro: tristeza é pra escrever. Tomo posse dessa dor que é toda minha. Até que passe e venha outra mais bonita.

"...Pedaço de mim, metade adorada de mim..."

2 comentários:

meus instantes e momentos disse...

doce e singelo post.
Tenha um feliz final de semana.
Maurizio

Andréa Haushin'ka disse...

Vó, quero escrever pra minha vó.
Pra quê ficar cercado de gente quando se estar triste? Mesmo dizendo "eu te endendo" ninguém de verdade entende. Mesmo sem querer, tristeza e solidão andam juntas. A dor é nossa, e dela a gente se apossa.