sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Amor e afins.

"Não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras, tripas e falta de ar".

(Caio F. Abreu)


O Amor pode ser um pequeno barco salva-vidas para a mocinha que, sem saber nadar, cai dele num mar furioso. Pode ser também a brisa fresca que seca a testa suada do viajante no Caminho de Santiago, e o diz: "Você consegue!". Pode ser uma nascente escondida no meio de um deserto. Um estou-contigo-até-o-fim, talvez, num mundo tão vazio de ombro-amigo. O Amor pode ser contentamento. Sa-tis-fa-ção. Seguramente digo que é Felicidade.

E de todas as hipóteses e dos “pode-ser”, algumas certezas reúno em mim:

O Amor tem o aroma de quem tanto quero, é o sorriso embrulhado nas palavras doces que ele me diz. É a certeza de que o amanhã nos encontrará de mãos dadas. É a confiança de o encontrar me esperando no banco do parque com borboletas no estômago. É esperança-verde-árvore ainda que não haja sinal de chuva e que a terra esteja seca. É oferecê-lo meus versos mais bonitos, meus adjetivos, minhas concordâncias tentadas – e não só em papéis, mas através de gestos e de todos os passos que insisto em dar. O Amor é sorrir o vendo me mostrar como o dia acordou bonito, ainda que esteja nublado onde estou. É cantar pra ele as minhas melodias mais sinceras, mesmo que nem sempre ele esteja ouvindo. É lembrar da sua voz doce no final da manhã, e sem perceber, adoçar o macarrão pensando nas razões que tenho pra o querer tanto bem.

O amor é essa mistura de cor-de-água-e-de-todas-as-outras-cores-juntas. É o que eu não sei dizer. É o que vem e não vai mais de mim, mesmo que ele
vá.

6 comentários:

Rafael Cury disse...

Ah, menina escritora, fiquei sem palavras ou elogios para o que redigiu...

Ni ... disse...

"... É o que vem e não vai mais de mim, mesmo que ele vá."

E sempre torcemos para que não se vá...

Lindo, como sempre...!

Beijo e mais beijos

Ni ... disse...

Fiz o mesmo com o teu...

Se bem que nos 'Outros Rastros" você é a figurinha que mais apareceu.. rs...

Beijo, dona moça...

Vanessa M. disse...

O amor é aquilo que sai dos poros.

Vanessa M. disse...

O amor é aquilo que sai dos poros.

João disse...

O amor é isso mesmo, e muito mais. Tampem acho que o amor seja o colírio dos olhos, quando eles já não conseguem enxergar cor viva em nada, só cinza e preto, ou qualquer outra cor escura e sombria, dependendo do ponto de vista de cada um né. amar é uma avalanche, que passa e tranforma a tua vida todinha, só que pra melhor.