sábado, 10 de outubro de 2009

Então respira mais que eu me inspiro mais.

Poderia ser tudo mais simples e menos feliz se tivéssemos nos desencontrado naquele dia em que aparecestes na minha vida, mas por ventura não foi assim. Desde que tu chegaste, a minha calmaria se transformou em grito. Lembro que tinha uma visão tão diferente de ti. E não foi entre as primeiras vezes que te vi que o meu coração perdeu a tranqüilidade de ser o exclusivo dono de si.

Lembro que me apareceste numa sexta-feira improvável, de calor sem sol, céu sem azul, com teus olhos cinza e eu não te reconheci. Não como te reconheço hoje, com todo esse arco-íris que agora vejo e que antes eu não percebia. Reconhecia somente o que era relativo às minhas expectativas sobre tudo que encontraria naquele dia, sobre as pessoas que iria conhecer, sobre a minha impaciência num estúdio cheio de pessoas desconhecidas - que eu pensava que tu eras só mais um entre elas-, e sobre as dúvidas e ilusões da noite anterior... E foi justo quando eu pensei que eu realmente não tinha sorte nenhuma que você chegou pra me mostrar que eu estava enganada.

No dia em que tu chegaste, a sorte estava na fila ao lado acenando pra mim e apontando em tua direção, como se quisesse me atrair, me mostrar ou me dizer algo que eu não entendia. Lembro que quando tive a oportunidade de te reconhecer no primeiro momento, quando estávamos a sós, eu e você, acabamos por falar demais, por causar mágoa, e você se foi sem pensar duas vezes, com sua música e sua melancolia - e me deixou ali sozinha -, depois voltou, reconheceu, pediu desculpas. Nós tínhamos um jeito tão sublime de ver a vida, de contornar as situações. Mas eu só te reconheci mesmo alguns dias antes de ter que me despedir de ti, como se o acaso ou o destino não pudesse ser contrariado, como se tivesse realmente que acontecer, ainda que tarde. MAKTUB, já estava escrito. Porque antes disso, era como se alguém soprasse ou dissesse baixinho algo que eu não entendia a cada vez que você aparecia na minha frente e se sentava ao meu lado. Eu devia suspeitar que todo aquele riso que você me proporcionava não era lá dos mais comuns.

Desde que você chegou à minha vida eu tenho tido a sensação de que o tempo de uma vida inteira é minúsculo pra tudo que se pode ser, criar e tentar. Tenho sentido um apetite louco de tudo, de respirar fundo e aproveitar a vida, de aproveitar contigo. E não me intimidam esses duzentos e oitenta e oito quilômetros que estão entre nós. Eu moro em ti, e tu moras aqui - dentro -, crescendo em mim como se fosse flor. E eu te rego e te cuido. E as lembranças dos dias em que estivemos juntos serão como força incontrolável pros dias que eu, sem pensar em nada além de ti, vou correr pra rodoviária e entrar no primeiro ônibus que me leve até você, pra estar em paz outra vez. Porque do teu lado eu me sinto como quem sonha, como se precisasse de tãopoucoquasenada pra me sentir completa. Não tenho fome, não tenho sono, só desejo de te conhecer mais e de te contar cada detalhe da minha vida. E é entre os teus braços acolhedores que eu não me sinto só. Porque apesar de toda essa capa de meninaforteeindestrutível, eu sou boba demais, fraca e vulnerável quando você dispara um olhar na minha direção. O meu sorriso é tão mais feliz contigo e eu amo conhecer teu mundo, as ruas que você passa, as pessoas que você ama e o que você vê quando abre a tua janela ao amanhecer.

Eu quero ir contigo, quero ir até onde consigamos ir, porque também confesso e aceito que já não sou tão singular, e que já me perdi pra ti já faz algum tempo. Resolvi pular bem do alto dessa rocha e cair de vez nesse mar, e que a correnteza me leve pra esse lugar tranqüilo que eu tenho a impressão de ver de relance a cada vez que nos encontramos.

Que o céu nos tenha reservado um amanhã bonito.
Segura a minha mão com força e não solta.

2 comentários:

a n d r é a disse...

"Desde que você chegou à minha vida eu tenho tido a sensação de que o tempo de uma vida inteira é minúsculo pra tudo que se pode ser, criar e tentar. Tenho sentido um apetite louco de tudo, de respirar fundo e aproveitar a vida, de aproveitar contigo. E não me intimidam esses duzentos e oitenta e oito quilômetros que estão entre nós. Eu moro em ti, e tu moras aqui - dentro -, crescendo em mim como se fosse flor. E eu te rego e te cuido..."
Se o amor não nos mata, nos cura. =D

Ni ... disse...

"Porque do teu lado eu me sinto como quem sonha, como se precisasse de tãopoucoquasenada pra me sentir completa. Não tenho fome, não tenho sono, só desejo de te conhecer mais e de te contar cada detalhe da minha vida. E é entre os teus braços acolhedores que eu não me sinto só. Porque apesar de toda essa capa de meninaforteeindestrutível, eu sou boba demais, fraca e vulnerável quando você dispara um olhar na minha direção. O meu sorriso é tão mais feliz contigo e eu amo conhecer teu mundo, as ruas que você passa, as pessoas que você ama e o que você vê quando abre a tua janela ao amanhecer."

L I N D O !