domingo, 15 de novembro de 2009

A vida é uma ratoeira, mas tem que ir lá comer o queijo.

Sabe quando chega o momento de ser mais forte do que antes? De ser mais você sem deixar de ser o outro?

Sabe quando é preciso achar no meio das nuvens um caminho verdadeiro? Deixar de ver o passo seguinte como um simples talvez?

Sabe quando o dia de ontem já não nos diz tantas coisas e os medos deixam de ser tão esplêndidos?

Sabe quando as decisões antes esquecidas na gaveta do quarto acabam se tornando o comentário mais promissor do jornal?

Sabe quando a fuga já não é a melhor escolha e é preciso de um novo jeito para se dizer o velho "não"? (Porque o sim constrói, mas o não constrói muito mais).

Sabe quando você dá de cara com as correntes que te mantêm preso e descobre, sem querer, que já não é tão preso assim?

Sabe quando você começa a enxergar o visível e é forçada a separar do coração a visão?

Não é raro compreender que você é muito mais do que sempre imaginou.


[Obrigada pelos comentários lindos e otimistas da postagem anterior :)].

4 comentários:

Dayane disse...

Que Lindoooooooo!

*-*

Ni ... disse...

E como sei...

Ah Yasha, você parece ler minha alma...

Beijo e mais beijos

Luz da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luz da Lua disse...

Eu terminei de escrever um texto e deixei ele um pouco de lado para ler algumas coisas, fui entrando de blog em blog e parei no teu, fui lendo de texto em texto e parei aqui...
Não publiquei ainda meu texto, pq ele era uma pergunta que eu achei a resposta no teu post!!
Acho que vou ter que refazê-lo, com outra visão.. obrigada!

"Sabe quando você começa a enxergar o visível e é forçada a separar do coração a visão?"

Pois é, eu não sabia que era isso que faltava eu fazer, separar o coração da visão!
Beijos