quarta-feira, 30 de junho de 2010

There is no wealth but life.

Parece que foi ontem que saí temerosa do que me aguardava, das mudanças as quais eu teria que passar, do medo de perder aqueles dos meus dias. Parece que foi ontem que saí, ainda assim, confiante, pedindo aos céus para que não perdesse aqueles amigos, aquela vivência, aquela proximidade... Porque sempre pensamos que não virão melhores, não é? Que não virão amigos melhores, que não virão dias melhores que aqueles da semana passada... Bem que me disseram que quando deixamos que alguém entre em nossa vida, corremos o risco de destruir todos os muros que construímos até então...

Parece que foi ontem que deixei tantas coisas para trás à procura de um sonho que, na verdade, nem sonho se fez. Deixei até as borboletas e os girassóis; deixei os beija-flores que cantavam na minha janela; deixei alguns telefonemas e deixei a comida da mãe e o abraço do pai; deixei a preocupação e ganhei a liberdade; ganhei a chance de conhecer outras pessoas, outros lugares, novas borboletas, novos girassóis e até outros beija-flores cantando na minha nova janela da minha nova casa. Ganhei outro Estado, outra cidade, outras companhias, outro dia-a-dia, e alguém especial que dividiu esse dia-a-dia comigo. Procurei tempo e não encontrei, assim como também procurei forças tantas vezes, procurei paciência, procurei uma luz no fim do túnel que não fosse um caminhão na contramão, procurei um abraço conhecido e uma palavra sincera daquelas que aqueles dos meus dias sempre me diziam, mas não encontrei. Encontrei voz, antes tão ausente; encontrei aprendizado para a vida toda; encontrei experiências nunca pagas; encontrei risos e choros desconhecidos e os fiz conhecidos; encontrei mais maturidade, mais consciência, mais responsabilidade, mais paciência; encontrei proteção e cuidado; encontrei noites de filmes e conversas; encontrei abraços inesperados e palavras que vieram como uma surpresa agradável; encontrei a luz; fui feliz e não me arrependi em nenhum momento, nem nos mais difíceis momentos que houve e vieram como furacão - dispostos a destruir o que encontrassem pela frente. E doeu, foram baques fortes, mas consegui desviar.

Parece que foi ontem aquele turbilhão de pensamentos rápidos envoltos por um mundo parado, a suavidade violenta daquele segundo entre o estar e o não estar mais. Parece que foi ontem que saí temerosa do mundo, me lembrando que nunca gostei muito de correr riscos e tentando colocar na minha cabeça, de uma vez por todas, que as mudanças ainda que difíceis são necessárias.

Parece que foi ontem que saí pedindo aos céus para que não perdesse aqueles amigos, aquela vivência, aquela proximidade... E foi hoje que eu resolvi, por definitivo, voltar. Voltar para a minha terra Natal, literalmente. E volto ainda com as mãos apontadas para o céu, para que alguém lá em cima possa me ouvir pedindo para que não tenha dado tempo disso ter acontecido. Foi hoje que deixei para trás meu suposto sonho, minha suposta liberdade, minha suposta felicidade, em busca de outra estrada.

“Você é tão nova ainda...”, sempre me dizem. Então, cá estou, de volta. Afinal, apesar de tudo, o tempo não corre, voa.

“É isso. Somente isso. O resto é palavra que ainda não sei dizer. É verso que ainda não sei escrever. É medo que ainda não sei confessar.”


Ps1: Deixei meu curso de Medicina Veterinária, mas não deixarei nunca meu amor pelos animais e minha procura pela cura de cada um deles. Agora seguirei à procura da cura. Farmácia. Porque “Em cada medicamento que alivia as dores da humanidade está a ciência do farmacêutico”.
Ps2: Sei que estou em falta com vocês aqui “amigos blogueiros, blogueiros amigos”, mas como vocês vêm acompanhando, mesmo que tão pouco, eu tive meus motivos. E agora, aos poucos, prometo tentar recuperar tudo aquilo que perdi nesses meses distante, todas as visitas, todas as respostas que passaram em branco por falta de tempo. Agradeço a presença de vocês que não fizeram disso um motivo para sumir, desaparecer. E declaro que estou de volta, como nos velhos tempos, mas seguindo uma nova página.