domingo, 12 de dezembro de 2010

Todas as partes que me completa.

Às vezes acredito que tudo em mim que verdadeiramente acontece, acontece dentro do meu estômago. Tem dia que ele inverna, tem dia que ele transpira. Acho que sou a única pessoa que sente as coisas pelo estômago e não pelo coração. Às vezes acredito que dentro do meu estômago está escondida a minha vergonha, o meu medo da morte, a minha vaidade de brinquedo, meus sonhos de papelão, os meus planos, o meu desistir, as minhas causas perdidas e tudo o que ainda não escrevi. Hoje estou vivendo um dia de tumulto… Não lá fora, mas aqui dentro. Não sei o que quero e nem o que me desespera... ou espera. Não estou conseguindo decifrar os suores do meu estômago. Às vezes parece que tudo dói, às vezes parece que está tudo bem, e, às vezes, só parece... e desaparece. Hoje eu desapareci de mim e estou me procurando por aí. Se alguém, por vias opostas, se deparar comigo encolhida num canto qualquer, me dê noticias de mim! Me pegue no colo, me afague e depois me mostre o caminho de volta... de volta à superfície... de volta pra casa... Me traga de volta pra dentro de mim, porque eu faço uma falta danada aqui dentro, e eu não sei viver sem todas as partes de mim juntas, mesmo que despedaçadas. Às vezes eu acredito que tudo em mim que verdadeiramente acontece, acontece dentro do meu estômago, mas às vezes eu acredito que o estômago serve somente como um segundo mensageiro, o coração mesmo é quem comanda e quem dá o veredicto final. E vai ver é isso mesmo, vai ver é isso, se não o meu lado esquerdo do peito não daria tanta pontada de vez em quando.

'Acredito que há uma força nesse mundo que vive dentro de cada pessoa, algo primitivo e selvagem que desperta quando precisamos de um esforço extra para sobreviver, como flores selvagens que desabrocham depois de que um incêndio deixou a floresta negra. Muitas pessoas têm medo disso e as mantém bem escondidas dentro de si. Mas sempre haverá pessoas que tem coragem de amar o que não está domado dentro de nós. Em certa época as pessoas se mudam para descobrir o seu destino, parece que elas se movem para todos os lados, impacientes e indecisas, mas acho que elas estão procurando as mesmas coisas, um lugar onde possam ser otimistas em relação ao futuro, um lugar que os ajudem a serem o que realmente querem ser, onde possam sentir que essa vida faz sentido.'

Nenhum comentário: