segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

“Tem gente que tem cheiro de Deus”

Minéia,

Em novembro do ano passado a Intense perdeu a Milene. Ela tinha 20 anos, um ano a menos que você, mas parecia ter essa mesma alegria a qual você sempre enfeitou os quatro cantos. A Intense disse que ela viveu tanto nesses 20 anos, assim como eu tenho certeza que você viveu também cada minuto que lhe foi dado com toda a intensidade que eu acredito que cada minuto deve ser aproveitado. Você ia pro quinto período da UFRN e já era bolsista do PIBID no Projeto Hora da Leitura. Você queria pedagogia, e, pelo amor que você tinha por crianças, já era de se esperar algo do tipo. Flamenguista doente. Alecrinense. Fazia academia, dançava, namorava, já dirigia, e até de goleira de handball você se arriscou e arrasou. Final de semana em casa era raro. Cervejinha na casa do pai sempre ia bem. Sinceridade, nunca vi igual. Força, então, nem se fala. Como você era forte, minha flor... Para tudo você tinha um tempinho. Era mesmo como se você soubesse que iria durar muito pouco, e então fazia tudo ao mesmo tempo, para dar tempo de viver um pouquinho de cada coisa. Muitas vezes a Intense precisou sair a noite para dar uma volta, tentar transformar a dor machucada em algo bonito... Algumas vezes ela desabou, mas no fim ela conseguiu dar a paz que a Milene precisava.

Cheguei a pensar que seria legal se você encontrasse com a Milene por aí. Vocês poderiam trocar felicidade como quem troca figurinha e ficarem bem, as duas. Superar juntas. E me deu vontade de te perguntar se o céu é mesmo uma rave. E te dizer que a Milene não iria gostar nem um pouco disso, mas que vocês poderiam ao menos dançar juntas. Independentemente da música, vocês poderiam viver esse momento, mais um, ainda que não aqui.

Você queria ir tanto naquela festa, não era flor? E foi. A noite acabou no acidente, mas eu sei que você aproveitou cada minuto daquele show. Foi você que pediu para ir embora, foi você que pediu para ir no banco de atrás do táxi, foi você que apoiou a cabeça da amiga nas suas pernas e foi você quem pagou pela irresponsabilidade de outro. Mas você queria ir e foi. E dançou, e sorriu, e abraçou, e brincou, e discutiu, e viveu. Como você viveu, meu bem...

A Intense me contou uma história dia desses, que na verdade é a mãe dela quem conta. A história é de uma menininha que morreu e que a mãe chorou por meses, e na primeira mensagem que ela conseguiu mandar para a mãe, ela pediu que ela não chorasse, porque as lágrimas da mãe mantinham a roupinha dela molhada e ela sentia frio o tempo todo. E agora sempre que choro eu me lembro dessa história e te peço força, daí para cá, para que eu pare de molhar tuas roupinhas, te deixando com frio o tempo inteiro. Acredito que o sofrimento de nós, que ficamos aqui, só faz prolongar o teu desassossego, e eu não quero que isso aconteça. Por isso te peço: Dai-nos força e coloca sorriso onde não tem.

Sábado saí com alguns amigos e tentei ficar bem de verdade. Cantei e até alguns sorrisos saíram da minha face. Mas chegou uma hora que bateu um desespero enorme e eu chorei incontrolavelmente e inconsolavelmente. Eu nunca tinha me visto naquele estado, nem eles. Enquanto eu chorava, eu pedi inúmeras vezes que você me ajudasse, porque eu não queria que você sentisse frio. Eu tive muito apoio dos meus amigos sábado - até dos que pouco conhecia - o que me fez perceber que há os que ficam para nos dá o suporte para conseguir seguir em frente. Sei que ninguém substitui ninguém, e que ninguém nunca vai ocupar o seu lugar, mas eu me senti protegida por eles sábado. E mesmo com todo o choro irreparável eu ainda ouvi que eu continuava sendo a mais forte do grupo. Mas até os mais fortes caem, certo?. E mesmo diante ao que eu estava passando, ainda me pediram ajuda. E a minha vontade foi de colocar a minha dor no bolso e ir cuidar da dor do outro, porque no fundo eu sei que seria isso que você faria.

Sábado eu ouvi que eu precisava me acalmar, que eu precisava respirar a paz, respirar a energia boa, procurar e encontrar essa energia nas coisas bonitas, porque daquele jeito eu não estava lhe dando a paz que você precisava, e me disseram que só assim você iria chegar em mim, quem sabe nos sonhos. Ainda não sonhei contigo, mas eu quero muito que você apareça nos meus sonhos, que chegue mais perto, que sorria seu sorriso bonito, que diga que eu não preciso me preocupar. Eu quero muito que isso aconteça.

Hoje eu descobri que você faz aniversário no mesmo dia do Caio Fernando Abreu. Lindo, não? Fiquei tão feliz em saber disso, e acabei descobrindo da onde vinha tanto amor e tanta intensidade de você. Deve ser esse dia mágico de vocês dois. E se encontrar com ele por aí diz que ele tem muita sorte por isso. Virginianos. Segundo ele as pessoas de Virgem sempre conseguem o que querem embora no começo pareça tudo muito difícil, e eu acredito que conseguem sim e ao mesmo tempo eu peço de coração que você tenha conseguido tudo o que queria. Certamente o Caio estava pensando em ti quando escreveu aquela frase: “Tem gente que tem cheiro de Deus”.

Esse mês faz cinco anos que te conheci. Cinco anos de muito momento bonito, de muito momento engraçado, de muita conversa, de muito abraço, de muitas palavras confortantes. Lembro como se fosse hoje lá em fevereiro de 2006... Nos falávamos pelo MSN, nos primeiros dias de aula, e quando chegávamos no colégio ficava uma mais envergonhada que a outra para chegar perto e falar, as duas se olhando e sorrindo desconfiado de longe, até que você chegou em mim, como sempre, e desde então ninguém mais nos segurou. Foi com esse seu jeitinho envergonhado de dizer as coisas que você abraçou o Leo, sorriu, agradeceu e falou: "Leo, estou vivendo a fase mais feliz da minha vida!". Sabe? Eu não conheço o Leo, mas eu fiquei tão tão tão, mas tão feliz quando soube disso - que você estava vivendo a fase mais feliz da tua vida, que você pôde viver a fase mais feliz da tua vida - que me deu vontade de sair correndo e conhecê-lo, falar de ti com ele, dar um abraço bem forte e dizer “Obrigada também Leo, por ter contribuído com a felicidade dela, assim como eu sei que pude contribuir”.

Lembro que um dia eu te disse que queria ver a gente chegando aos 80 anos. Que deveríamos trabalhar isso, porque a gente ainda deveria jogar dominó juntas quando tivesse uns 80 e molhar o biscoito no café enquanto conversávamos coisas que começavam com ''na minha época''... Com quem que eu vou fazer isso, eu não sei mais, e nem quero arriscar, mas tenho certeza que no meio desta conversa vai soar teu nome e eu vou lembrar bonito de ti, sem dor, porque é isso que o tempo faz com a gente – transforma a dor doída em sentimento bem bonito, nos fazendo desejar o bem onde quer que o outro esteja.

Amanhã é sua missa de sétimo dia. Estarei lá rezando por ti, por mim e por tantos que estão com essa saudade incurável de ti. Vou te pedir muita força, muita luz, muita energia boa, muita coisa bonita e esse seu amor contagiante, daí para cá, porque ainda dói muito, minha flor. Não é mais dor de tristeza, mas é dor de saudade, dor de injustiça. Dor de ter sido tão cedo, e tão de repente. Mas a gente vai conseguir passar por essa também, tenho certeza.

Eu quero pensar em você sem precisar sentir dor. Quero deixar que a dor se transforme em qualquer coisa bonita, para que assim eu possa me lembrar de você e sorrir bonito também. Quero me lembrar dos momentos bons, dos momentos engraçados, dos sorrisos e dos abraços. Quero ver o céu mais azul, como de fato ele está depois que chegastes aí. Quero ver mais cores. Quero estar bem aqui onde estou para que você esteja bem aí onde estás. Quero te ver feliz. Quero me sentir feliz, mas continuar sempre pensando em você. Sempre.

Eu gosto muito, muito mesmo de você. Nunca esquece. E é do coração do meu coração que eu te mando todo o conforto que você precisa e que recebo todo o amor que só de você transborda. 


"A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas?"

Nenhum comentário: