quinta-feira, 25 de maio de 2017

25 de maio, 2017.

“Ainda bem que você vive comigo, por que se não como seria essa vida?”
E foi com essa música que decretamos o nosso dia 25. Não houve pedido formal, nem nada comumente observado, foi ela que tornou o dia 25 um tanto mais especial, que tornou esse dia nosso, mês após mês. Depois de tamanho susto, foi ela que te reergueu e que nos fez um, ainda sendo sempre dois. Foi luz no fim do túnel, foi esperança, foi presente, foi recomeço. Nosso.
E eu te amo em cada pedacinho que te compõe, em cada pelo da sua barba bem feita – as vezes nem tanto-; em cada sinalzinho espalhado em sua pele; em cada vez que me sorri desconfiado ou que fecha a cara sem opção de conversa; em cada olhar, que ainda que de cara fechada, me sorri; em cada abraço, em cada beijo, em cada afago, eu te amo.
E eu te amo a cada vez que pede minha opinião, a cada vez que se importa, por menor que seja a importância. A cada vez que me cuida, que me segura, que me sustenta, que é meu colo pra chorar, ou minha folia para sorrir. A cada vez que me entende e também quando não me entende, mas que faz com que entenda meu erro, e crescemos. Pelo respeito, pela paciência, pelo ninho, pelo amor, eu te amo.
E eu te amo por cada vez que não desistiu, por cada vez que insistiu, por cada vez que percebeu que valeria a pena, por cada dia que conseguimos superar a distância, os maus pensamentos, a insegurança, e até as omissões. Eu te amo. Por ser meu companheiro, meu amigo, meu confidente, meu parceiro, e por trazer luz pros meus dias. Por ser família, por ser vida.
E eu te amo e não sei onde me cabe tanto amor, mas sei que o de Deus por nós é ainda maior, e nos fortalece a cada pedido de proteção, a cada vez que somos monitorados. Não sei como Deus pode ser tão bom, mas dizem que ele une as pessoas boas, não é? Que sejamos então essas pessoas, escolhidas a dedo pra semear o amor.
Tudo ocorre no tempo certo de Deus, e Quem diria? Quem saberia? Que daquela cidade - até então estranha-, daquela universidade - que pra nós era experiência nova-, que das amizades que nos tornaram próximos, que da nossa amizade de quase quatro anos, e até daquele acidente, iria se propagar um amor? Deus sabia. E parece que foi mesmo preciso cada prova da vida, para que chegássemos aqui.
Feliz três anos de amor, meu amor. Que esse seja só o início.

Nenhum comentário: